Texto da Exposição

cheguei até aqui. criei um mapa de papel e terra. sua casa. uma casa. estou em trânsito. o som do vento me leva. e os cheiros. e a água. você fala de invisíveis. indizíveis. é só a necessidade de entender o mundo. não é possível. ainda assim. como quando enxergo niemeyer em ouro preto. provocação. outras relações. experiências e conhecimento. tudo é assim. mas há um desejo de transformação. prefiro o silêncio de uma cidade branca. espaços sem fim. ainda assim vejo os olhos de ermenita e reencontro a capacidade de amar. ilusão. como a arte? não tenho como fugir disso. quero ir até o fim. vejo uma cordilheira de papel. torres de argila. compridas como giacomettis. não paro de ter ideias. viajar sempre. de novo? para ver o mundo. são perspectivas do vazio. perfis de pigmento e pó. daqui para onde vou? perguntas. melhor que respostas. ainda assim preciso saber de alguma coisa. aqui e agora. podemos fazer nosso lugar. recortei um pedaço do espaço onde ouço o canto de um pássaro do hemisfério norte. aqui é o sul. aqui é onde quero estar. um ateliê. uma praia de pedras. por isso não paro de criar. para respirar. para entender das coisas. de alguma coisa. eu quero descansar olhando matisse. há o tempo ali. meu tempo é denso. tantos tempos. paro por aqui? vi a placa: aluga-se. ainda não. é só o começo. e o fim dele? pode ser assim. verdades absolutas são para os descrentes. o olho é o rei. é o que sei. penso numa arquitetura do olhar. um olhar informado que constrói e desconstrói. como minha mão. é mais mental. não é uma crença. uma imagem do som. e do mundo. meninos na rua. pedras no chão. gravei uma ideia num tronco de árvore. vai ficar aí. não como cristal. é um veio para uma seiva. uma possibilidade. um caminho em que muita gente se reconheça. ou não. mas daqui para onde vou? ah!…

Cláudio Cretti

Aluga-se

Fundar espaços de arte é uma idéia muito poderosa para esse grupo de artistas que se reuniu por primeira vez em uma casa para alugar, para apresentarem seus trabalhos. O resultado desse encontro, além da própria exposição, foi um ciclo de palestras e oficinas que durou vários meses.

A partir daí, a idéia de criar situações para a arte ao invés de esperar que elas aparecessem, foi se ampliando e se ramificando e organiza o pensamento do grupo em seu trabalho hoje.

Ou seja, o que ficou da primeira experiência do Aluga-se é a certeza de que a auto organização e a construção de estruturas alternativas para apresentação de ações, é um importante caminho para apresentação do seu trabalho.

Por outro lado, o convite institucional também é muito bem vindo e uma conseqüência deste trabalho. É o caso desta exposição no Museu de Arte Contemporânea de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.  Serão expostas obras de dezessete artistas, quinze do grupo e mais dois artistas da cidade. O Aluga-se se apresenta sempre com convidados.

Qual o lugar da arte, quem a valida, quem pode participar, são perguntas que ao contrário que restringirem as ações, impulsionam estes artistas ao trabalho.

Renata Cruz

Anúncios

2 Respostas para “Texto da Exposição

  1. continuem assim.bom trabalho

  2. Domingos João Arabela

    muito bom gostei

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s